28/02/2018

Vice-presidente do Coren-BA defende tese de doutorado

O acesso aos arquivos inativos da autarquia possibilitou o desenvolvimento da tese "Análise do discurso sobre erro no trabalho em Enfermagem".

O enfermeiro Handerson Silva Santos, vice- presidente do Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren-BA), defendeu tese de doutorado na última segunda-feira (26), tendo como objeto de estudo a “Análise do discurso sobre erro no trabalho em Enfermagem”. Aprovado pela banca examinadora, o trabalho foi fruto de uma pesquisa sobre Processos Éticos julgados pelo plenário da autarquia durante o período de 1990 a 2015.

Financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), a pesquisa contou com o apoio da Gestão 2015-2017 do Coren-BA que, ao autorizar o acesso aos arquivos inativos, possibilitou o desenvolvimento da tese de doutorado e mais três Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), dentre eles, a análise sobre as “Características dos processos ético-disciplinares tramitados no Conselho Regional de Enfermagem da Bahia”, produzido pelo ex-conselheiro da autarquia, Samuel Azevedo. A partir desse TCC, constatou-se que 25% dos processos éticos julgados pelo Coren-BA eram crimes cometidos por profissionais da enfermagem que versavam sobre o exercício ilegal da Medicina, falsificação de documentos e falsidade ideológica.

Para Handerson, realizar o trabalho com o apoio do Coren foi uma experiência magnífica. “Os processos inativos possuem uma riqueza de informação tanto para a pesquisa cientifica, de um modo geral, quanto para o próprio Conselho, pois possibilitam a realização de planos de ações com foco nas principais denúncias que chegam à autarquia”, explicou o vice-presidente.

Os dados da pesquisa também serão utilizados em aulas ministradas pelo enfermeiro na Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia onde atua como docente. “Esses processos serão úteis para as disciplinas de ética e bioética, pois revelam os problemas enfrentados pelos trabalhadores da enfermagem no dia-a-dia”, comentou o enfermeiro.

 

Handerson Santos também pretende publicar um livro com as histórias relatadas nos processos, respeitando-se o devido sigilo, para serem trabalhadas pelos professores na formação dos profissionais das categorias de enfermagem.