08/11/2017

“Somos sócios majoritários das nossas vidas!”, destaca Karnal

Filósofo Leandro Karnal defendeu protagonismo nas escolhas e ações, em palestra no CBCENF

“Esforço é banho. Precisa ser diário, permanente. Mesmo depois de 10 anos, se parar, fede”, afirmou o professor Leandro Karnal, na palestra “Ética, Trabalho e Felicidade”, que abriu a programação do 20º CBCENF nesta quarta-feira (8/11).

A partir de reflexões sobre temas universais, Karnal falou sobre a importância do trabalho da Enfermagem, a necessidade de se assumir o protagonismo das próprias escolhas e de estar preparado para os desafios da carreira e da vida. “Quem faz a mesma coisa sempre, vai errar menos, mas conhecer pouco. Serei melhor se eu enfatizar o que quero melhorar”.

Karnal ressaltou que os erros têm papel fundamental e que “somos sempre parte do problema e da solução”. “Assim como todo professor é marcante, inclusive o ruim; todo enfermeiro é marcante”, lembrou Karnal, citando a internação da mãe na UTI e a calma trazida pelos profissionais competentes e humanos.

O equilíbrio entre um corpo funcional, estabilidade psíquica e competência técnica foi defendido pelo filósofo: “No processo do cuidado em Enfermagem, é essencial que alguém esteja equilibrado – e é melhor que seja o profissional. O paciente e a família têm direito à histeria, a raiva, o profissional não”.

Ao lembrar a história da enfermeira inglesa Florence Nigthingale, Karnal sentenciou: “Como fazer alguma coisa? Fazendo! A Florence foi lá e fez!”. No entanto, o filósofo ressaltou que toda escolha implica em perda e que é preciso estar preparado para se fazer uma “gestão permanente das mudanças”. Nesse processo de decisão entre “o ousar e o repetir”, o filósofo foi categórico: “somos sócios majoritários das nossas vidas”.

A consciência do que se faz e para o que se faz foi destacada pelo palestrante e, para finalizar sua fala, ele lembrou da máxima do líder indiano Mahatma Gandhi ao dizer que “ainda que eu não possa transformar a Saúde brasileira, quando entro no quarto de um paciente posso transformar aquele ambiente, posso transformar aquele quarto”.

Fonte: Ascom – Cofen