09/04/2019

“Saudades de mim” – técnica de enfermagem conta como conseguiu superar a depressão e inicia projeto de prevenção ao suicídio

Lucélia Machado decidiu usar a própria experiência de superação para ajudar jovens e adolescentes diagnosticados com a doença.

Foto: arquivo pessoal

“Quando eu passei a conviver com depressão, foi um processo tão doloroso, que a impressão que eu tinha era de estar presa em um universo paralelo, eu sentia falta da garota que brincava de casinha, que gostava de tomar banho de chuva, eu tinha saudades de mim”, foi assim que a técnica de enfermagem Lucélia Machado, 32 anos, inspirou-se a nomear o projeto que busca prevenir casos de suicídio.

Natural da cidade de Central (região próxima a Irecê) e diagnosticada com depressão, Lucélia Machado decidiu usar a própria experiência de superação para falar sobre o tema. A técnica de enfermagem perdeu a irmã há 4 anos por suicídio e ela mesma já tentou se automutilar por três vezes durante os períodos mais difíceis de depressão, mas mostra que mesmo com todas as dificuldades e desafios é possível superar a doença.

Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2018, a cada 40 segundos, uma pessoa se suicida no planeta. O problema é a segunda maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos de idade. A partir de informações e orientações das principais organizações de saúde, como Ministério da Saúde (MS) e Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Lucélia pretende com o projeto “Saudades de mim”, ajudar pessoas que estão passando por casos semelhantes ao seu.

“Primeiro apresento o projeto com uma carta convite chamada converse comigo, eu realmente quero ouvir pessoas que estão precisando desabafar, muitas vezes familiares e amigos não tem paciência de ouvir, mas como eu já passei por tudo isso, eu posso ajudar, eu sei como salvar essas vidas”, comentou Lucélia.

Além dos dados e informações, a técnica de enfermagem busca também mudar o conceito sobre o uso de medicamentos e apoio profissional. Ela contou que em sua cidade, é muito comum a sociedade se afastar de pessoas que estão em tratamento com psicólogos, psiquiatras e que fazem uso de medicamentos para a saúde mental.

“As pessoas têm receio de procurar ajuda por causa do estigma da loucura. Quando alguém fica sabendo que você faz uso de medicamento controlado, acaba se afastando, é como se você perdesse a credibilidade enquanto ser humano, mas não se deve levar esse comportamento em consideração, fazer o tratamento é fundamental, foi assim que eu comecei a ver a vida de uma forma diferente, por isso é importante que as famílias reconheçam os sinais e procurem ajuda”, afirmou a técnica de enfermagem.

Enfermagem – Ao ser questionada se o trabalho com a enfermagem influenciou de alguma forma o diagnóstico de depressão, em função das sobrecarga de trabalho, Lucélia informa que a doença teve origem na infância, onde conviveu num ambiente familiar violento que desencadeou medo e insegurança.
Lucélia não sabe como conseguiu forças para estudar, pois nesse período todas as emoções estavam confusas e conturbadas. Ela contou que foi a pressão social por ser alguém e ter uma formação que motivou a busca pelos estudos.

“A enfermagem chegou a mim por sugestão de uma colega, eu me identifiquei com a área, mesmo indo para o curso morrendo por dentro, eu consegui o meu diploma e descobri que amo cuidar, tenho empatia por meus pacientes, é gratificante o retorno que eles dão quando a gente ajuda”, comentou.

Coren-BA – Lucélia Machado também buscou ajuda do Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren-BA) para desenvolver o seu projeto. A autarquia possui um grupo de trabalho sobre Saúde Mental, composto pelas enfermeiras Eva Carneiro Silva Passos, Laís Chagas de Carvalho, Ana Carolina Moreira Oliveira e coordenado pelo enfermeiro Gustavo Emanuel Cerqueira Menezes Júnior. Em reunião com o GT, a técnica de enfermagem foi orientada sobre pontos do projeto, pesquisas e como conseguir mais alianças.

Em relação ao tema, o GT de Saúde Mental participará de alguns eventos da Semana de Enfermagem que será promovida pelo Coren-BA em 11 cidades da Bahia. Com um recorte especifico, o GT tratará da saúde mental na Enfermagem nos dias 15/05 em Luís Eduardo Magalhães , 28/05 em Eunápolis, 28 de maio em Paulo Afonso e 31 de maio em Vitória da Conquista.