12/02/2014

Posse: Hospital da Bahia elege comissão de ética de enfermagem

“Uma das mais importantes tarefas da comissão de ética é educar, de forma preventiva, os profissionais”. Foi com essa declaração que a presidente em exercício do Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren – BA), Laurinda Lula Machado, inaugurou, na tarde de terça-feira, 11 de fevereiro, a posse da comissão de ética de enfermagem do Hospital da Bahia. Durante a cerimônia de posse, ela destacou os mais de sessenta profissionais envolvidos no comitê ético da classe.

O superintendente executivo do hospital, Marcelo Zollinger, enfatizou sobre a necessidade dos mecanismos de controle ser efetivos. “A comissão de ética é de suma importância por ser ligada à assistência. A cada dia que passa, os nossos colaboradores precisam oferecer assistência adequada aos pacientes”, concluiu.

SAM_1507

A comissão de ética é composta pelas enfermeiras Luciene Batista dos Santos (presidente), Candice Cristina Fiúza Inácio, Sara Santana Souza Braga, Agne Luoise Pinheiro Fideles, Glaucia Soares Cardoso, além dos técnicos em enfermagem Alberto Lima Santos, Rosângela França dos Santos, Elisângela Silva dos Santos e Marilene de Souza.

“É importante existir um alinhamento, o trabalho conjunto entre os enfermeiros, técnicos e auxiliares na comissão de ética. O Coren – BA alcançou o feito inédito de inserir técnicos no processo ético das comissões. Precisamos de técnicos que compreendam a função deles na comissão de ética do hospital em que atuam”, disse a técnica em enfermagem e primeira tesoureira do Coren- BA, Maria José Cruz Cova, ao incentivar aos membros da comissão do Hospital da Bahia sobre a tarefa de investigação que o comitê de ética tem a cumprir.

SAM_1494

Ao encerrar a cerimônia de posse, a presidente eleita, Luciene Batista, demonstrou interesse da comissão de ética do Hospital da Bahia em se aproximar mais dos profissionais, apresentando a eles direitos e deveres descritos no código de ética.“Pensamos em utilizar a linguagem lúdica, através do teatro, para transmitir aos profissionais, com simplicidade, o código. Nossa expectativa é fazer do código de ética o livro de cabeceira dos profissionais de enfermagem”.