23/07/2019

Início das atividades de escola de formação profissional é destaque em Seminário de Fiscalização

Projeto foi aprovado este ano, durante a 570ª Reunião do Plenário, com o objetivo de desenvolver atividades de pesquisa e estudos em temas d ...

 

Teve início nesta segunda-feira (22/07), o Seminário de Fiscalização e Administrativo do Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren-BA). O evento acontece até a sexta-feira (26/07), no auditório do Hotel Sol Bahia Sleep em Salvador e tem como objetivo capacitar, qualificar e promover a integração dos servidores da autarquia.

A mesa de abertura do seminário contou a presença da presidente Maria Inez Alves de Farias, da gerente do Departamento de Fiscalização Adirah Queiroz, da assessora de Gestão do Exercício Profissional Sophia Sampaio, da enfermeira fiscal Ana de Pádua e do membro da Câmara Técnica de Fiscalização do Conselho Federal de Enfermagem (CTFIS/Cofen) Luana Ribeiro.

Para a presidente do Coren-BA, o momento é único porque marca o início das atividades da Escola de Formação em Fiscalização do Exercício Profissional em Enfermagem (EFEPE), iniciativa aprovada este ano, durante a 570ª Reunião do Plenário, que busca desenvolver atividades de pesquisa e estudos em temas de interesse da Enfermagem em cooperação com instituições de ensino.

“Quando assumimos a gestão ficamos preocupados com a falta de um programa de educação permanente para os servidores, por isso desenvolvemos esse projeto que é inédito e inovador nos Conselhos de Enfermagem, são mudanças que chegam para aprimorar o trabalho desenvolvido”, destacou Maria Inez.

O enfermeiro Lúcio Ramos, professor da UFBA e coordenador/tutor do curso de formação de agentes de fiscalização do exercício profissional em Enfermagem, primeiro projeto realizado no âmbito da EFEPE, realizou a apresentação dos principais pontos do programa de educação, que inicialmente será direcionado aos fiscais da autarquia, com duração de 4 meses.

“Fizemos uma reunião em abril com 7 enfermeiras fiscais para entender quais temas precisavam ser trabalhados com maior profundidade, dessa conversa selecionamos 5 assuntos: processo administrativo, gerenciamento de documentos dos serviços de Enfermagem, SAE, dimensionamento de pessoal e trabalho da equipe de Enfermagem em diferentes especialidades”, revelou Lúcio Ramos.

A coordenadora da CTFIS, Ana Célia Marinho, também esteve presente no evento. Para a profissional, o curso de formação é um projeto ousado porque não fica restrito ao processo de aprendizagem com base no Manual de Fiscalização.

“A visão do fiscal deve ser ampla já que vistoria diversos tipos de especialidades, tem que estar preparado e para isso é preciso um processo continuo de estudo, parabenizo a implantação do projeto e coloco a CTFIS à disposição para ajudar no que for preciso”, comentou a coordenadora.

Ainda durante o seminário, aconteceram as palestras:  “Passo a passo do auto de infração” com a palestra da enfermeira Adria Brito – CTFIS/COFEN e mesa redonda sobre “Relatórios circunstanciados de fiscalização: objetividade, clareza e eficácia” com a participação de Luana Ribeiro – CTFIS/Cofen, do procurador geral Saulo Novaes e do conselheiro Alexandro Gesner.