17/10/2012

Atraso salarial motiva paralisação no 16º Centro de Saúde em Pau Miúdo

Funcionários paralisaram parcialmente as atividades do 16º Centro de Saúde

Funcionários paralisaram parcialmente as atividades do 16º Centro de Saúde Maria da Conceição Santiago Imbassahy, localizado no bairro do Pau Miúdo, desde a manhã desta terça (16), por falta de pagamento. A Pró Saúde, entidade filantrópica que administra o posto, alega que o atraso ocorreu por falta de repasse da prefeitura. De acordo com os trabalhadores, o salário está atrasado há 30 dias.

Os fiscais do Coren-BA, Antonio Carlos da Silva Filho e Laísa Santos da Silva participaram de uma reunião, na Unidade de Saúde, a convite da  vereadora Aladilce Souza – presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores com representantes do Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed), Sindicato dos Enfermeiros do Estado da Bahia (SEEB) e do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado da Bahia (Sindsaúde). Em uma reunião reservada com os profissionais de enfermagem, Antonio Carlos Silva falou sobre a importância de se conduzir a paralisação observando os aspectos legais e éticos da profissão de enfermagem. “Não estamos aqui para influenciar na decisão a ser tomada pelos profissionais, mas para orientar que, seja ela qual for, deverá ser conduzida de forma racional para que suas ações estejam legalmente respaldadas”, salientou.

Os atendimentos de urgência e emergência estão mantidos. “O paciente que chegar com quadro mais grave será atendido e todo grupo de enfermagem está atento ao Código de Ética que rege a profissão de enfermagem. Estamos agradecidos pela presença e orientação do Coren”, esclareceu a enfermeira Mabi Carvalho.

A Pró Saúde se comprometeu em fazer o pagamento do mês atual até o dia cinco de novembro, mas defende que o contrato feito com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) não está sendo cumprido integralmente, gerando prejuízos para a entidade. Devido à situação de instabilidade e a possibilidade de que novos atrasos ocorram, os funcionários decidiram manter a paralisação até que uma solução definitiva seja encontrada.