12/11/2019

“A Saúde do País não funciona sem a Enfermagem”, afirma Jairo Bouer em palestra magna no 22º CBCENF

O psiquiatra discorreu sobre os desafios de cuidar de quem cuida e os impactos da tecnologia na nossa saúde emocional

Com o tema “Impactos da Tecnologia na Atenção à Saúde”, foi iniciado o segundo dia de programação científica do 22º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem (CBCENF), no dia 12 de novembro. Jairo Bouer, médico, escritor e apresentador de televisão, foi o convidado para falar sobre as consequências, positivas e negativas, do uso da tecnologia no cotidiano da população e também do profissional da saúde.

Bouer iniciou sua fala contextualizando a importância da Enfermagem na atenção à Saúde brasileira e o parentesco existente entre os profissionais da saúde no dia a dia das clínicas e hospitais. Para ele, os enfermeiros estão sempre vivendo e sentindo o que acontece com o paciente e reconhece a importância desses profissionais para a Saúde do Brasil.

No decorrer de sua fala, o médico apresentou dados de pesquisa que realizou com adolescentes de 12 a 17 anos, sobre o uso de tecnologia e como elas impactam suas vidas. O abuso de redes sociais, por exemplo, está fortemente ligado à queda de rendimento escolar em adolescentes, além do impacto negativo na saúde emocional. O uso da tecnologia para essa faixa etária pode ser saudável para promover acesso a informação, pesquisas e conhecimento, e as redes sociais podem contribuir com o estreitamento de laços e distância, porém, o uso em exagero pode expor o jovem ao bullying, conteúdo impróprio para sua idade, preconceito, falsa sensação de conexão quando se está isolado e outros perigos disponíveis para fácil acesso. Ele frisa que os profissionais da saúde devem estar preparados para sinalizar e cuidar dos casos de automutilação, tentativas de suicídios e indícios de depressão, que crescem cada vez mais não só nos adolescentes, mas em todas as faixas etárias.

O psiquiatra também reforçou a importância de cuidar de quem cuida. Para ele, é importante que o profissional da saúde entenda sua situação de atuação, que o expõe a violência, perigos, estresse e pressões diariamente, e a partir disso sempre refletir sobre o impacto na sua saúde emocional. É importante fortalecer os vínculos com os colegas, criar redes de apoio e falar sobre o tema, principalmente.

Em suma, ele recomenda que os profissionais redobrem os cuidados na atenção à saúde para identificar e conseguir preservar a saúde mental da população, sem deixar de lado o autocuidado e atenção que o enfermeiro precisa e merece.

 

Fonte: ASCOM/Cofen